top of page
  • Foto do escritorwarzeé

Me vejo vela

Vendo assim nem parece

Que tem movimento

Que pulsa por dentro

Que mergulha na água


Vendo assim não perece

Não se apaga com o vento

Com o tempo

Com nada


Vivendo assim, padece

Na melancolia pacata

Onde silêncio engole o pensamento

O medo não vem do escuro

E o vazio se dá

Na vela

Apagada




16 de junho de 2020 | 22:57

quarentena

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Sou água

Tenho precisado evaporar Me desmanchar suavemente E mesclar esse excedente Com o que existe do lado de lá Pois cá, dentro, o que se entende É muito pouco antes que muita mente Me pergunte o que é que

sem freio

não sei se vou ou volto se avanço ou paro no sinal te respiro num soco pronto e te retrato em espiral no sol recrio o sonho à noite receio o irreal cerro os olhos pra longe enxergar o borrão afinal tu

Chá pra cá

O deslizar da pena no papel Recria a conexão Com o que um dia esteve cá Me invade como o puro mel Numa manhã doce de verão Ou em um quente gole de chá 22 de dezembro de 2021 | 22:13

bottom of page